Equinor adia o arranque da Mariner novamente

De Nerijus Adomaitis10 abril 2019
Foto: Jamie Baikie / Equinor
Foto: Jamie Baikie / Equinor

O operador do campo de petróleo pesado Mariner, um dos maiores empreendimentos offshore da Grã-Bretanha em anos, adiou sua partida para o verão de 2019 na quarta-feira para verificações de segurança nos acoplamentos elétricos da plataforma.

Originalmente previsto para entrar em operação em 2017 e com uma estimativa de 300 milhões de barris de reservas recuperáveis, o projeto de 4,5 bilhões de libras (US $ 5,9 bilhões) tem sofrido com atrasos.

O último, empurrando o esperado lançamento de volta do primeiro para o segundo semestre deste ano, segue uma decisão tomada em novembro pela operadora norueguesa Equinor para inspecionar todos os 40.000 acoplamentos da Mariner.

Os testes iniciais mostraram que a taxa de falha dos acoplamentos era muito alta, disse Morten Ruth, vice-presidente de grandes projetos da Equinor, à Reuters na quarta-feira.

"Eles (acoplamentos elétricos) podem levar a uma explosão se o gás chegar à plataforma", disse ele. A partir desta semana, a empresa completou 56% do trabalho.

"Vemos a startup se aproximando. Vemos que poderemos concluir todos os preparativos antes de julho, mas há incertezas", disse ele, acrescentando que agora espera a entrada em operação entre julho e o começo de setembro.

Ruth se recusou a dizer os custos extras que o atraso implicaria.

O campo do Mar do Norte, descoberto a leste das ilhas Shetland em 1981, foi aprovado para desenvolvimento em 2012.

A Mariner deverá produzir cerca de 55.000 barris por dia em planalto. Isso se compara à produção atual do Reino Unido de cerca de 1,2 milhão de bpd, segundo dados da International Energy Authority.

A Equinor tem uma participação de 65,11% no projeto. Seus parceiros são a JX Nippon com 20%, a Siccar Point com 8,89% e a Dyas com 6%.

A parte superior da plataforma foi construída em um estaleiro da Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering (DSME) na Coréia do Sul.

A Mariner foi atingida por vários atrasos, e a Equinor em outubro abandonou os planos para o início da produção no final de 2018.

A Prosafe informou em comunicado que a Equinor estendeu o aluguel de uma de suas embarcações de serviço para o trabalho na Mariner por três meses até o final de setembro, a um custo de US $ 15 milhões.


($ 1 = 0,7651 libras)

(Reportagem adicional de Alex Lawler em Londres; edição de Terje Solsvik e John Stonestreet)