Ativistas escalam plataforma de petróleo no mar do norte

10 junho 2019
Os ativistas escalaram uma plataforma de petróleo da BP em Cromarty Firth, na Escócia. A plataforma é o Paul B Loyd Jr, de propriedade da Transocean, em sua maneira de perfurar no campo de Vorlich. (Foto: Greenpeace)
Os ativistas escalaram uma plataforma de petróleo da BP em Cromarty Firth, na Escócia. A plataforma é o Paul B Loyd Jr, de propriedade da Transocean, em sua maneira de perfurar no campo de Vorlich. (Foto: Greenpeace)

Ativistas interromperam o avanço de uma plataforma de petróleo destinada ao programa de exploração da BP no Mar do Norte, na costa da Escócia, informou o grupo ambientalista Greenpeace no domingo.

A plataforma, Paul B Loyd Jr, de propriedade da Transocean, estava a caminho do campo de Vorlich para perfurar a operadora BP.

O Greenpeace disse em um comunicado que está exigindo que a supermaior ponha fim imediato a novas perfurações e mude para investir apenas em energia renovável.

Uma equipe de ativistas em barcos preparou-se além do equipamento de 27.000 toneladas métricas, enquanto tentava deixar Cromarty Firth a reboque, ao norte de Inverness. Eles escalaram a estrutura para abrir uma faixa declarando uma “emergência climática” e ocupam um pórtico em uma perna da plataforma, abaixo do convés principal.

A BP disse em um comunicado na segunda-feira: “Em todas as operações, a segurança é nossa maior prioridade. Embora reconheçamos o direito de protestos pacíficos, as ações desse grupo são irresponsáveis e podem colocar a si mesmas e a outras pessoas desnecessariamente em risco.

"Estamos trabalhando com a Transocean - a proprietária e operadora da plataforma - e as autoridades para avaliar a situação e resolvê-la de maneira pacífica e segura.

“Compartilhamos as preocupações dos manifestantes sobre o clima. Apoiamos o acordo de Paris. E estamos trabalhando todos os dias para promover a transição do mundo para um futuro de baixo carbono.

“Estamos reduzindo as emissões de nossas próprias operações - uma queda de 1,7 milhão de toneladas no ano passado - melhorando nossos produtos para ajudar nossos clientes a reduzir suas emissões e criando novos negócios de baixo carbono. Estamos comprometidos em fazer parte da solução para o desafio climático que todos enfrentamos ”.

Uma declaração do Greenpeace citou um dos ativistas que escalou a plataforma, Jo, que disse: “Palavras quentes fluem da BP em seu compromisso de combater as mudanças climáticas. No entanto, esta sonda, e os 30 milhões de barris que pretende perfurar, são um sinal seguro de que a BP está comprometida com os negócios de sempre, alimentando uma emergência climática que ameaça milhões de vidas e o futuro do mundo dos vivos. Não podemos deixar isso acontecer - é por isso que estamos aqui hoje ”.

No mês passado, ativistas do Greenpeace bloquearam a sede da BP em Londres, exigindo que a empresa acabasse com a exploração de petróleo.